Loading...
Ziriguidum

Vozes femininas: as mulheres no Samba

Vozes femininas

O programa Ziriguidum volta após um pequeno tempo, mas não deixa a desejar. A retomada do programa se dá com uma homenagem muito especial, pois como nesse mês comemoramos o Dia Internacional da Mulher, o Ziriguidum será totalmente dedicado à nossas majestades do samba. Um programa recheado de vozes femininas que embalam as rodas de samba e nos deixam encantados.

Desde o início do samba as mulheres estão presentes. Introduzidas em alguma canção, inspirando os grandes compositores. Mas não é só essa posição que a mulher ocupou no samba. Podemos encontrar também mulheres no papel de compositoras, onde compunham grandes canções.

Como uma das maiores referências, como compositora e cantora de samba, temos nossa querida Dona Ivone Lara. Mas, infelizmente, nem tudo eram flores. Dona Ivone Lara, imersa nas influências do samba carioca compôs sua primeira música aos 12 anos e aprendeu a tocar cavaquinho aos 17. As canções compostas por ela eram cantadas nas rodas de samba por seu primo, como se fossem dele, isso por causa do preconceito que, na época – entre a década de 30 e 40, não aceitavam mulheres sambistas. Mas Dona Ivone Lara não se deixou abater e seguiu firme e forte no universo do samba.

Dona Ivone Lara foi a primeira mulher a compor um samba-enredo. Na década de 70 as coisas começaram a mudara pra ela. Dona Ivone Lara gravou seu CD, onde teve uma excelente repercussão, fazendo muito sucesso. Suas canções foram gravadas por grandes nomes da música popular brasileira, como Gilberto Gil, Maria Betânia, Caetano Veloso e Gal Costa.

As mulheres batalharam muito pra ter seu espaço respeitado no samba, e Dona Ivone Lara é uma das responsáveis por essa luta por direito de igualdade no samba.
Ela nunca deixou seu sonho de seguir no mundo da música. Uma grande inspiração pra todos nós.

Hoje temos muitos nomes de mulheres que representam o samba com uma maestria fenomenal. Além de Dona Ivone Lara nós temos Alcione, Beth Carvalho – nossa madrinha do samba, Leci Brandão, Martnália, Teresa Cristina, Mariene de Castro, Maria Rita, Roberta Sá, entre muitas outras.

Mas, temos um outro grande nome que também marcou a história do samba, nossa grande majestade Jovelina Pérola Negra.

Jovelina, que era super fã de Bezerra da Silva, gravou cinco discos individuais conquistando um Disco de Platina. Hoje podemos encontrar grandes sucessos como “Feirinha da Pavuna”, “Bagaço da Laranja” – gravada com Zeca Pagodinho, “Luz do Repente”, “No Mesmo Manto”, “Garota Zona Sul”, entre muitos outros.

Temos também nossa excelentíssima Clementina de Jesus, que acompanhou de perto o surgimento e desenvolvimento da escola de samba Portela. Além dos grandes sambas de roda, gravou também corimás, jongos, cantos de trabalho etc., exaltando sua conexão afro-brasileira. Em 1968, gravou o LP “Gente da Antiga” ao lado de Pixinguinha e João da Baiana. Depois gravou cinco discos solo e fez diversas participações, como nos discos “Rosa de Ouro”, “Cantos de Escravos”, Clementina e convidados e “Milagre dos Peixes”, de Milton Nascimento, em que interpretou a faixa “Escravos de Jó”. Clementina se tornou um ícone do samba.

Aproveite agora e curta nosso programa. Dê o play e curta o melhor do samba das nossas musas do samba.