Loading...
Jornalismo Cultural

Um milhão e 720 mil motivos para comemorar

Prêmio Jabuti de Literatura

Só que não. O momento não é de muita alegria no setor cultural de Londrina, afinal, o recurso de um ano do principal financiador de projetos e atividades culturais do município, o PROMIC, ainda não chegou ao destino e ninguém sabe o que vai acontecer. Mas saber que tem um “pé-vermelho” sendo premiado nacionalmente no Prêmio Jabuti de Literatura por conta de uma obra que só pôde ser lançada graças ao Programa, traz um orgulho muito grande pra cidade. Ou pelo menos deveria trazer.

Por Vitor Struck

Foi divulgado na tarde desta terça-feira (31) pela Câmara Brasileira do Livro (CML) os vencedores do 59º Prêmio Jabuti de Literatura e tem londrinense entre os vencedores. A rigor, seria uma injustiça com a vizinha Ibiporã, cidade natal do jornalista Renato Forin Jr., terceiro lugar na categoria “adaptação”, com “Samba de Uma Noite de Verão”. É que, hoje em dia, Renato mora em Londrina, onde estudou Jornalismo (UEL). Seria injustiça, também, dizer que o jovem autor é apenas jornalista. Além de produzir e fazer a assessoria de imprensa do Festival de Dança de Londrina, é pesquisador, doutor em Letras pela Universidade Estadual de Londrina, dramaturgo e diretor de teatro com formação pela Université Sorbonne Nouvelle. É mole?

“Samba de Uma Noite de Verão” é uma adaptação de “Sonho de Uma Noite de Verão”, de Willian Shakespeare. O livro foi lançado pela Editora KAN, do jornalista Marcos Losnak, e recebeu o apoio do Programa Municipal de Incentivo à Cultura (PROMIC). Uma curiosidade: Renato tentou aprovar o livro, que também traz um CD com sambas gravados por artistas de Londrina, por três vezes, mas o projeto só foi aprovado na quarta tentativa.

A ideia nasceu nos corredores da Funcart, a Fundação cultural que gerencia a Escola Municipal de Teatro aqui em Londrina. Renato apresentou o projeto e os professores Edna Aguiar e Guilherme Kircheim toparam o desafio de montar a peça de formatura dos alunos do curso regular com a adaptação.

Outro ponto muito interessante é que o livro traz as partituras das canções, que foram produzidas por Sara Delallo e contaram com o violão de Rafael Fuca, percussão de Duda de Souza e as vozes de Edna Aguiar, Gisele Silva, Joyce Cândido e Tonho Costa.

Confira no nosso mini-documentário.

Parabéns Dr. Renato. São pessoas como você que colocaram Londrina na agenda de grandes artistas e no mapa cultural da América latina. Vida Longa.

Foto: Divulgação