Loading...
La Fúria

O começo do Rap feminino no Brasil.

Desde que chegou ao Brasil, no fim da década de 70, o Rap foi feito por homens. São grandes nomes Sabotage, Thaíde, MV Bill, D2, Gabriel o Pensador, o grupo Racionais Mc’s, o grupo Facção Central, Realidade Cruel, Quinto Andar e muitos outros rappers que tem sido destaque na atualidade como Kamau, Shawlin, Marechal, Emicida, Projota, etc.

As mulheres têm começado a aparecer na mídia há pouco tempo. Com a internet democratizando a criação de conteúdo, somando-se o movimento feminista, algumas rappers têm sido alavancadas e mostrado que rap não é coisa só de homem.

A quantidade de MCs ou grupos de Rap formado por mulheres cresceu muito nos últimos anos, mas em alguns locais o espaço continua limitado exclusivamente a MCs homens. Um exemplo disto foi numa recente conversa em que perguntei a cerca de dez amigos para me citarem 3 MCs ou grupos que são destaque no atual cenário do Rap brasileiro. Apenas um deles citou uma mulher.

Hoje em dia as mulheres não “seguram só no refrão”, fazem o movimento acontecer!

Muitas são vistas com preconceito pelos mais conservadores, mas mesmo assim não retrocedem, deixando bem claro que o lugar de mulher é onde ela quiser!

Nos anos 90 a grande precursora no Brasil foi nossa saudosa Dina Di; a partir dela muitas mulheres se destacaram no rap, como: Cris do Snj, Negra Li do RZO e muitas outras.

Algumas mulheres e grupos que deram um ponta pé inicial para o Rap feminino: Dina Di, Negra Li, As trincas, Cris Snj, Cintia Savoli e outras mulheres da cena rap.