Loading...
Jornalismo Cultural

Mundo Livre S/A é o destaque da primeira noite do Psicodália

A primeira noite do Psicodália 2018 teve como destaque principal os pernambucanos do Mundo Livre S/A. Além do mangue beat pernambucano, os shows que mais chamaram a atenção ficaram por conta dos veteranos do Tutti Frutti, dos goianos da Carne Doce e dos curitibanos do Machete Bomb.

Por Giovanni Tagliari

Fotos Eduardo Calliari

O primeiro show da noite ficou por conta da Carne Doce, com letras críticas e o vocal encantador da vocalista e compositora Salma Jô. Em seguida a banda Tutti Frutti formada nos anos 70, agitou o público com músicas próprias e também interpretando clássicos de Mutantes, Raul Seixas, Janis Joplin entre outros. O guitarrista e vocalista da banda, Luis Sérgio Carlini disse durante a performance que “sempre quis tocar no Psicodália”, antes de comparar o festival ao Woodstock.

A atração principal teve início a meia noite, quando Mundo Livre S/A subiu no palco Lunar. Apesar de ser o grande destaque da primeira noite, banda pernambucana se apresentou por apenas uma hora, mas fizeram um show marcante.

Para encerrar a noite, o coletivo gaúcho Bloco da Laje abriu as apresentações no palco Guerreiro, que abriga os shows que acontecem nas madrugadas do Psicodália. O rock pesado do Machete Bomb foi a maior atração do palco. Com uma sonoridade que lembra os americanos do Rage Against the Machine, a banda mistura rock, cavaquinho e letras fortes. Para fechar o primeiro dia a banda instrumental gaúcha Kiai encerrou a noite de apresentações às 5 horas da manhã.

Os shows continuam neste sábado com destaque para Boogarins,  o mineiro Lô Borges e os paulistanos do Bixiga 70. E ainda hoje traremos uma entrevista com o Bixiga 70 falando sobre o show de logo mais a noite. Fiquem ligados!!!!