Loading...
Jornalismo Cultural

Eleições 2018 – Momento político repercute entre coletivos e artistas de Londrina

No próximo domingo (28), acontece o 2º turno das eleições para o cargo Presidente da República do Brasil. O mais alto cargo do executivo será disputado entre os candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). Em Londrina, Bolsonaro teve o total de 65,13% (cerca de 186.100 votos, segundo o TSE), contra o total de 6,63% (18.939).

Por Bruno Leonel (fotos: Tânia Rêgo/Agência Brasil – Claudio Kbene)

Aqui na cidade, a polarização e a grande quantidade de votos conquistados pelo candidato do PSL – notório pelo perfil conservador, pelo discurso ora preconceituoso, e até misógino – surpreendeu  muitas pessoas ligadas à militância e também membros de coletivos artísticos (ainda que as pesquisas previamente divulgadas já ilustrassem mais ou menos a expectativa das urnas).

Para muitos, o momento polarizou opiniões, além de aflorar disputas e conflitos ligados à divergências de ideias. Na região, casos de agressão e ameaças, ligados à disputa política, foram relatados.

Considerando o atual momento, nossa reportagem ouviu alguns agentes da cultura, e pessoas atuantes em movimentos sociais na região, para obter um ‘recorte’ de opiniões sobre o atual momento político e as expectativas para o segundo turno. Uma das pessoas entrevistadas foi o professor, e pesquisador da área de Artes Cênicas, Dr. Aguinaldo Moreira de Souza. Atualmente, além de docente no departamento de cênicas da UEL, Aguinaldo também é diretor da companhia teatral da Cia L2. Confira:

Outra pessoa ouvida foi o produtor e gestor cultural Gerson Bernardes. Além de integrante do projeto Plantão Sorriso, e coordenador da Vila Cultural Triolé,  Gerson desenvolve também um trabalho dedicado á apresentações em espaços públicos, e o trabalho com a arte de palhaços, também notável por circular em bairros e regiões mais afastadas da região central. Ouça:

Atuante também na militância ligada à movimentos sociais, a professora  Meire Moreno, integrante da Frente Feminista de Londrina, e do Eva Coletivo, falou com nossa reportagem sobre a perspectiva atual na política (relacionada aos coletivos nos quais atua), além de algumas questões pontuais ligadas ao resultado das eleições. Segundo Meire, apesar do contexto de incertezas, e do receio de ataques, houve mudanças significativas simbolizadas nas urnas. “Ainda é pouco, mas há ativistas de movimentos sociais que estão indo à campo e até chegando à ocupar  cargos da política institucional…”, confira:

Além do cargo de Presidente, eleições para o 2º turno de governador ocorrerão em 13 estados Brasileiros e no Distrito Federal.