Loading...
MeiaEntradaCast

Dois filmes baseados em games

No MeiaEntradaCast de hoje, Renan Fileto, Caio Monteiro e Vinicius “Milk” Fagionato soltam todo o ódio dos seus corações para discutir dois filmes baseados em Asassin’s Creed: Assassin’s Creed e Tomb Raider.

O histórico de adaptações de games para a telona é, no mínimo, trágico. Apesar das inúmeras tentativas – que tiveram início no já longínquo ano de 1994 – poucos são os filmes que se salvam. Perceba, querido leitor, SE SALVAM. Porque é fato que ainda não tivemos um grande filme que se destacasse e fosse unanimidade.

Essa vasta trajetória começou com a adaptação do fenômeno Super Mario Bros. A escolha do título a ser adaptado foi acertada, isso ninguém negaria. Sua popularidade era enorme e ainda é.

No entanto, as decisões criativas para a adaptação foram terríveis. Tendo como material original uma história lúdica, cheia de fantasia e com zero realidade, o longa sofreu devido à alteração de seu universo para uma atmosfera realista e mais séria. Uma prova de que os próprios produtores não tinham entendido o real acerto do game. Bom, ao menos as tentativas seguintes levaram tudo isso em conta, certo? Errado.

O longa dos irmãos encanadores foi o início de uma série de decisões equivocadas e de tentativas frustradas de migrar boas histórias de uma mídia para outra. Na lista de erros ainda temos Street Fighter, a franquia Resident Evil – que fez sucesso, mas é fraquinha, fraquinha – Tekken e os recentes Angry Birds e Assassin’s Creed. Vamos entender mais a fundo quais são os problemas com esse histórico de adaptações? Vem com a gente!

Venha para o programa e se prepare para saber: 1) quem odeia Asassin’s Creed 2), um pouco sobre o histórico desses dois jogos 3) e quais os prós e os contras dessa nova onda de adaptações de jogos para o cinema!

Ah, e não esqueçam de mandar críticas, sugestões e lâminas de assassino pelo e-mail: [email protected]