Carregando...
Hora do Sabbat

Contato, fluxos, fronteiras e variedades

A Hora do Sabbat dessa semana apresenta duas entrevistas, recebemos Fernanda Camara que uma jovem que é a cara deste fim de década, que transparece toda luta pela liberdade e igualdade de direitos! Uma bruxa moderna, vamos conhecer um pouco mais da história dela. Fernanda fundou o atelier hacker, um propagador da cultura maker na baixada santista, é também adepta da permacultura e várias formas de  agir que agridem o mínimo possível a natureza. Essa Deusa ainda é produtora cultural e se arrisca em diversas linguagens artísticas.

A segunda entrevista foi gravada em São Carlos, terra natal da apresentadora Sarah Mascarenhas, que foi conversar com a Maithe Bertolini, uma santista que foi estudar no interior paulista e escolheu o mato ao mar pra viver e realizar inúmeros projetos ligados a arte e tecnologia. Maithê é fundadora do Festival Contato e contou sobre o 11° edição do evento.


Para ampliar as vozes femininas do programa tem estreia do quadro Autonomia Sonora com Amanda Gasparetto, que vai trazer mensalmente dicas sobre produção de áudio. A coluna DaLira está especial, Flora Miguel, que sempre nos traz incríveis lançamentos das mulheres na música, nesta edição lê um relato da fundadora do Projeto Matricaria, Andréia Botelho, que passou três meses num assentamento no sul da Bahia trabalhando com o cultivo de Cacau.


Carlota Cafieiro,  na segunda edição da coluna Mulheres das Artes Visuais, fala do quadro Abaporu de Tarsila do Amaral, que tem suas obras expostas em exposição no MASP. No Fio da História, apresentado por Camila Genaro, trouxe a história de Vasalisa a sabida, mais um arquétipo feminino do livro As Mulheres que correm com lobos da canadense Clarice Pinkolas. E os tradicionais quadros do programa, a Femenageada da Semana é Dama Katerina Te Heikõkõ Mataira, que resgatou o idioma Maori na Nova Zelândia.